sexta-feira, 20 de maio de 2011

Verdade e Vida e o PL 122

Esse é o programa de amanhã, dia 21/05/2011. Assista e convide seus amigos.

A Nova Sociedade Brasileira






De repente nosso país começou a vivenciar uma perigosa reformulação do seu conceito de família. Várias leis tramitam no Congresso Nacional discutindo questões importantíssimas e revolucionárias. As mais conhecidas são a “Lei da palmada” e o famoso PL 122, que discute sobre chamada questão da homofobia. Mas na verdade, o que está por detrás desses projetos de lei?
Há algum tempo tive a oportunidade de fazer um curso sobre cosmovisão e nele conhecemos algo sobre o mecanismo que move o pensamento de uma sociedade. A dinâmica dos conceitos, dos valores e dos princípios de um povo sempre se move numa perspectiva Teo-referente. Essa Teo-referência pode ser positiva ou negativa, ou seja, na elaboração dos seus princípios e valores ou a sociedade procurará adequar a sua vida a Deus ou se distanciará cada vez mais dEle.
Deste modo, os projetos de lei, que em última análise são uma forma de ingerência do governo nessa célula mais básica da sociedade – a família, nada mais são do que o reflexo de uma ação maior que tenta redesenhar nossa cosmovisão sobre a família. Pode ser, portanto, que estejamos vivendo um período de transição, diabolicamente arquitetado, para destruir conceitos elaborados sob uma base Teo-referente positiva.
Diante disso nossos olhos precisam urgentemente se voltar para os projetos de lei que estão tramitando, sem, contudo perder de vista o foco da verdadeira batalha – a mudança da visão de mundo da nossa sociedade. Se nos concentrarmos apenas nos projetos eles continuarão sofrendo “adequações” e, mais cedo ou mais tarde, voltarão ao legislativo, até que enfim, sejam aprovados.
Não obstante as dificuldades em nos articularmos para combater um inimigo tão complexo, creio que algumas coisas podem ser feitas.
a) É hora de resgatarmos aquelas práticas saudáveis, há muito abandonadas, de edificação espiritual do lar. Essas práticas passam pelo culto doméstico. Deste modo preservaremos os nossos filhos de serem educados por essa nova sociedade brasileira;
b) É hora de ocuparmos a mídia, em todos os seus níveis, não apenas para denunciar esse plano, mas para discutir com a sociedade o nosso modelo familiar, sob uma perspectiva Teo-referente positiva;
c) É hora também de reestruturar nossa consciência política para que homens crentes, comissionados por Deus, sejam a voz cristã na mente política brasileira contrapondo-se ao pecado dessa rebelião de maneira inteligente;
d) É hora de fortalecermos nossas instituições de ensino, desde o conhecimento mais fundamental até o universitário, dando-lhes a oportunidade de refletirem sobre os fundamentos de uma sociedade organizada em torno de valores cristãos.
E por fim, é hora de dobrarmos nossos joelhos em oração para que cheios da graça de Deus, nos portemos como valentes nessa batalha.

domingo, 15 de maio de 2011

EMPUNHANDO AS ARMAS DA VITÓRIA SOBRE O MAL - Sermão de Domingo 15/05/11


1ª João 2.12-14


Introdução.
Hoje a UMP nacional está comemorando 75 anos e apesar de ser uma “senhora” de respeito ainda demonstra a vivacidade de quem tem o vigor da vida exalando por todo o corpo.
A própria Escritura reconhece a singularidade desta fase da vida e aconselha os jovens a se alegrarem nos dias da sua mocidade, sabendo que haverá um tempo em que prestarão contas a Deus. E aqui, aproveitando o ímpeto e coragem próprias da juventude, o apóstolo João os chama para se posicionarem na batalha, como bons soldados de Cristo Jesus. Os jovens são são chamados a vencer todo o mal. Deste modo queremos meditar sobre a maneira como temos usado as armas que Deus nos dá pra vencermos o mal.

Contexto.
O tema principal da 1ª epístola de João é o amor. Aqui João fala do amor de Deus para conosco, do amor que devemos ter para com ele e do amor que devemos ter com o próximo. Ele usa o amor como uma espécie de teste para verificar a vivacidade do nosso cristianismo. Aliás, aqueles eram tempos onde heresias cristológicas (tentativas de se deturpar o puro ensino sobre a pessoa e a obra de Cristo) estavam adentrando na igreja.
Em tempos de heresias perniciosas a Igreja foi chamada ao combate. E como nosso tempo não é diferente do de João, hoje cada um é convocado a empunhar suas armas e seguir para o fronte da batalha. O mundo quer relativizar a verdade de Deus, adocicar o pecado e acelerar a marcha infernal dos dominadores deste mundo tenebroso (Ef. 6.12) contra os soldados de Cristo.
Assim, nesse dia, em que comemorarmos o Dia do Jovem Presbiteriano, verdadeiro soldado de Cristo, reflitamos sobre as armas da nossa milícia. E que cada um de nós, membros desta igreja militante consideremos como essas armas podem nos ajudar na luta contra o mal.

Desenvolvimento.

I) A certeza do perdão dos pecados. Vs. 12
No verso 12, João diz que escrevia, àqueles a quem ele chamava de filhinhos porque o seus pecados foram perdoados por causa do nome de Jesus. João sabia da importância da comunhão com Deus e da certeza que devemos ter de que em Jesus fomos reconciliados com o Pai.
Ao seu dirigir aos filhinhos João sabia que por conta do pecado original e dos pecados pessoais cometidos por seus filhinhos, muitos poderiam viver atormentados por suas próprias consciências ou pelo ministério acusador de nosso inimigo. Alguns, sinceramente querendo servir a Deus seriam sempre confrontados com os seus próprios pecados insistindo na tese da indignidade, ou seja, quem são vocês para permanecer na presença de Deus? Quem são vocês para buscar o seu favor? Vocês são todos corruptos e, portanto, indignos da presença do Altíssimo.
Contudo, João os lembra que a graça de Deus assiste a todo aquele que confessa os seus pecados e descansa na eficiente obra de Cristo realizada na cruz do calvário. No verso 9 do cap. 1, ele disse que Deus é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça.
Creio que todo soldado de Cristo, para resistir aos dardos inflamados do maligno, precisa estar ciente de que a sua vida foi lavada no sangue do Cordeiro e que verdadeiramente não há mais condenação para os que estão em Cristo Jesus. Se você se sente acusado pelo pecado, se a sua consciência tem lhe criado um empecilho a uma comunhão plena com Deus, confesse seus pecados e entre na posse da alegria destinada aos que foram perdoados. Viver sem o medo da acusação do inimigo é fundamental para alcançarmos vitória nas nossas batalhas.
Assim posso dizer que muitos crentes tem sido derrotados pelo inimigo porque não vivem a vida justificada do redimido, então não tem paz. Se você vive no pecado pode ser a qualquer tempo chantageado pelo inimigo e também disciplinado pela justa mão do Senhor. Mas se os seus pecados tem sido confessados, a certeza do perdão se apossará do seu coração e da sua consciência, fazendo de você um guerreiro valente e um grande soldado de Cristo. Nossa primeira arma é a certeza de quem Cristo nossos pecados são perdoados.

II) O conhecimento da pessoa de Cristo. Vs. 13 – Lembre-se que em Cristo somos mais que vencedores – é por isso que os jovens podem vencer
Mas o texto prossegue, no verso 13 dizendo que os pais conhecem aquele que existe desde o princípio e depois que os jovens então, tem vencido o maligno.
Aqui somos colocados diante de uma questão importantíssima – a do conhecimento de Deus. Conhecer a Deus não somente é uma obrigação espiritual, mas uma condição imprescindível para vencermos o mal. É uma obrigação porque Deus nos ordena - Oséias 6:3 Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.” e é imprescindível porque sem o conhecimento de Cristo não podemos ver o Pai.
No verso 12 João diz que os jovens são fortes e vencem o maligno. Posso dizer que a razão dessa vitória é o conhecimento que eles tem da pessoa de Cristo.
Importante observar que desde João e depois nos primeiros séculos da era cristã muitas heresias em torno da pessoa de Cristo surgiram. Basicamente podemos dizer duas questões controvertidas estiveram no centro dos debates. A primeira era o ebionismo, um movimento que negava a plena divindade de Jesus e a segunda era o docetismo que negava a plena humanidade dele. A Igreja, nessas controvérsias se manteve firme ensinando que Jesus era verdadeiro Deus e verdadeiro Homem. Contudo, nesse contexto João falava do surgimento do AntiCristo, alguém que de alguma forma proferia mentiras sobre a pessoa de Cristo. Isso nos leva a entender que a vitória sobre o maligno, na mente de João, tem a ver com o conhecimento verdadeiro da pessoa de Cristo. Nele estão as fontes da nossa vitória sobre o mal.
Irmãos, não podemos conceber crentes fortes e hoje, particularmente, jovens fortes sem que eles conheçam efetivamente quem foi Jesus e o que ele fez por nós – por isso Jesus disse: João 17:3 E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.
E mais, se em Cristo é que somos mais que vencedores, você só poderá resistir as investidas do maligno, se realmente a sua vida estiver escondida nele. Veja Cl. 3.1-5 (1 Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. 2 Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; 3 porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. 4 Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória. 5 Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria;)

III) O poder da Palavra de Deus – A palavra é a espada e a fé o escudo. Veja Ef. 6. Por desconhecer a Palavra muitos jovens tem perdido suas batalhas para o pecado.
Há ainda um último aspecto que precisa ser tratado. João diz que os jovens são fortes pois a Palavra de Deus permanece neles.
É muito possível que a palavra de Deus seja uma referência à Cristo – o Verbo encarnado – como usado por João no cap. 1 do seu evangelho. Contudo, não vejo problemas em estender a aplicação deste verso a todo conteúdo da revelação divina, que em última análise fala, em essência, de Jesus. Então, João estaria nos dizendo: Jovens, a força de vocês provém da Palavra, que é arma de batalha e companheira inseparável da fé.
Quando Paulo fala da armadura de Deus, com a qual devemos nos revestir, ele diz que a Palavra é a espada do Espírito e o nossa fé o nosso escudo. Ele diz que com estas armas podemos apagar os dardos inflamados do maligno.
Na própria escritura aprendemos que a Palavra é o poder de Deus. Ela é o poder da velha criação e da nova criação e na medida em que nos apossamos dela, somos fortalecidos em fé, e cada vez mais convictos da veracidade e do poder de Deus.
Assim, cremos que a Palavra é um arma indispensável para vencermos o mal. A esta altura da nossa mensagem, alguém deve perguntar, mas especificamente que mal é este que devemos enfrentar. Como jovens soldados de Cristo Jesus precisamos saber: Qual a luta que temos para enfrentar?
A Escritura nos diz que a nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra os principados e contra os dominadores deste mundo tenebroso. O fato de reconhecermos o domínio soberano de Deus sobre todas as coisas não deve nos levar a negligenciar a realidade desta batalha. Contudo, não devemos também crer que essa batalha se dá apenas fora do nosso ambiente religioso, até porque o maior inimigo, contra o qual muitos jovens tem de lutar, não é a possessão demoníaca que aflige a outros, mas a própria indiferença e frieza espiritual que lhes persegue.
Essa frieza espiritual tem levado jovens ao pecado do sexo antes e fora do casamento e a rebeldia contra Deus. Essa frieza espiritual tem aberto caminho para as drogas e o número de usuários “evangélicos” tem crescido consideravelmente. Essa frieza espiritual tem levados jovens a negligenciar o seu dever diário de vigiar para não cair em tentação e, portanto, o desconhecimento da Palavra, a espada do Espírito, tem deixado jovens vulneráveis aos ataques do maligno. Hoje o nosso coração se entristece quando ouvimos a notícia de alguns que aparentemente corriam bem, mas agora longe do Senhor vivendo estão.
Mas por que essa frieza espiritual?
Por que os jovens fortes não tem canalizado a sua energia para Deus.
Contudo, se há muitos frios, nós cremos que é possível também Deus levantar uma geração de jovens que ame a Palavra e que não a veja como retrógrada e repressora, mas como poderosa e libertadora.
Por isso eu quero desafiar os jovens aqui, nesta noite, a amar o Senhor de todo o seu coração, com toda a sua alma e com todas as suas forças. Se há pecado não confessado, caia hoje de joelhos diante do Senhor, se há falta de sede, ou desejo pela sua Palavra que em oração você suplique a Deus para lhe dar essa vontade. Faça isso hoje, mas não saia daqui derrotado pelo inimigo ou sugestionado por Satanás, pelo contrário, descansando no poder libertador de Deus, saia daqui com uma vida transformada. A Escritura diz: 1 Pedro 5:6 “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte,”

Conclusão.
Que nesse dia, quando comemoramos o aniversário da UMP, Deus nos dê a graça de vermos jovens renovados no poder do seu Espírito, comprometidos com a sua Palavra. Jovens capazes de assumir para si a declaração de João de que são fortes e tem vencido o maligno.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

PARA UMA MÃE ESPECIAL



Mãe é sinônimo de carinho, atenção, renúncia, delicadeza e especialmente de amor. É como se estivéssemos diante de uma fortaleza construída só com o coração. Onde cada sorriso, cada palavra, cada olhar e cada silêncio é revestido de uma intensidade imensurável e arrebatadora. Tudo que ela vive e sente é carregado de paixão e a cada parte da sua família ela se entrega plenamente.

A sua vida é um misto de força, fragilidade, coragem e medo. E sempre, no meio de sentimentos tão paradoxais, reflete a doçura que anima e encoraja cada um a prosseguir a sua jornada, na certeza de que no fim daquela velha estrada (a vida), tudo terá valido à pena. Como ela nos fortalece!

Realmente sua atenção pela família é especial e como uma autora desconhecida de uma grande obra, governa o mundo embalando o berço. Como ela é imprescindível, o que nos faz dizer que pelo seu amor se formam homens e mulheres de bem, que com toda autoridade e por toda a vida, sempre se renderão à sua doce voz dizendo: “Meu filho”! Por isso, ela é ...

Linda e sua beleza é sempre encantadora. Por onde quer que os nossos olhos passeiem é sempre por ela que eles procuram. Ela inspira e ensina que a vida, a despeito de todas as suas lutas, é uma dádiva divina. E certamente é uma dádiva quando a contemplamos em nossa alma. Assim, como diria o poeta americano:

You are my life”, mãe, você é a minha vida! Rogo a Deus para que te sustente, te fortaleça e te faça eterna em meu coração. Louvo a Deus pelo que você é e pelo que através do seu amor eu também posso ser. Que Deus abençoe a todas as mães da Igreja Presbiteriana de Patrocínio.


OBSERVE A PRIMEIRA LETRA DE CADA PARÁGRAFO - rsrsrs

E agora, a participação do Matheus (recordando...)

video

video


video