segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

TESTEMUNHO DO MATEUS

Durante algum tempo pensei sobre qual seria o momento em que uma criança seria capaz de reconhecer o Senhor Jesus como Salvador de sua vida. Certamente, não seria uma tarefa fácil desenvolver um argumento teológico sobre o assunto. Mas, a espontaneidade do Matheus, no testemunho a seguir, mostra que os propósitos de Deus podem alcançar o coração do homem quando Ele bem entender.
Como pai, o que mais me emociona foi o fato de tudo ser espontâneo. Não combinamos nada previamente.
Primeiro ele disse isso enquanto estávamos orando para agradecer pelo almoço. Depois, minha esposa pediu pra que ele repetisse o que havia dito, e ai está o resultado.



Que Deus abençoe a vida dele e das crianças que receberem o Senhor Jesus em seus corações

sábado, 13 de dezembro de 2008

APRESENTAÇÃO DO MATHEUS NA ESCOLINHA

Tudo bem que esse blog é para discussão, mas não tem jeito. Tem horas que a gente se rende aos filhos. Dá uma olhadinha no Matheus na apresentação de final de ano da escolinha arco-íris.

SE ELE NÃO TIVESSE VINDO!

O mês de dezembro é muito significativo para o cristianismo. Nele celebramos o natal. Embora muitos o vejam apenas como uma festa familiar e, às vezes, apenas como uma oportunidade comercial, não podemos deixar de falar das verdadeiras implicações desta data. Neste pequeno artigo, que já está no boletim de nossa igreja, refletimos um pouco sobre o assunto.



Se Ele não tivesse vindo!


Um dos mais belos hinos do nosso Novo Cântico diz que: “A presença de Jesus enche o coração de luz”. Assim, a alegria declarada pelo poeta nos lembra que nada é tão necessário como o Senhor Jesus. Ele veio para que as trevas do pecado fossem dissipadas e a luz da salvação fosse revelada. Mas, e se ele não tivesse vindo?

É difícil imaginar o grau de perdição e tristeza que sobreviriam sobre nós, no entanto, pelas declarações da Escritura, podemos pensar algo sobre o assunto.

Lá, nas palavras da Bíblia Sagrada, aprendemos que em virtude da entrada do pecado no mundo, este se viu completamente destituído da glória de Deus (Rm. 3.23). Pelo princípio da representatividade, estabelecido na aliança de Deus com o Adão, todos os seus descendentes sofreram as corrupções do pecado original. Esta corrupção lançou o homem num estado de plena depravação e total incapacidade espiritual. Não havia um só lugar na vida humana livre dos efeitos do pecado e nem um só lugar capaz de ter aspirações celestiais. As Escrituras chegam a registrar que os desígnios do coração humano eram continuamente maus (Gn. 6.5). Cegueira, insensibilidade, letargia espiritual, e indiferença são apenas alguns dos adjetivos que poderiam descrever o estado do homem no pecado.

Nesse contexto a vinda de Cristo é anunciada como sendo libertadora (Is. 40.3-5; Jo. 8.36). Assim, se ele não tivesse vindo toda a raça e toda a criação estariam irremediavelmente perdidas e condenadas, diante do justo juízo de Deus.

Deste modo, cabe à Igreja redimida proclamar a todos os homens que aprouve ao SENHOR, pela sua vontade soberana, estabelecer um novo representante Mediador e uma nova aliança. Jesus Cristo, constituído por Deus, como Salvador e resgatador das ovelhas perdidas é a única esperança do pecador.

Proclame esta verdade!